Radha e Krishna: o amor mais puro que pode existir entre um casal

7 minutos para ler

Para você o que significa o amor? Para o hinduísmo, o amor pode ser representado por meio da relação de Radha e Krishna. O casal é para os indianos o exemplo de relação mais pura que possa existir, que vai além do lado romântico apenas. Eles são a representação da união de almas, onde um não existe sem o outro. Continue essa leitura, para conhecer mais sobre essa visão do amor pelos hindus.

A história de Radha e Krishna

Sobre Krishna

Considerado a oitava encarnação e a mais importantes do deus Vishnu (suprema trindade hindu, junto de Shiva e Brahma), Krishna é representado por um jovem muito bonito, com um corpo forte e cabelos anelados. É uma das divindades com o maior número de adeptos, não somente na Índia, mas no mundo todo.

As lendas que contam a história de Krishna relatam que seu nascimento seria uma forma de eliminar o mal que existe no mundo. Sua infância e juventude foi no campo e desde pequeno colecionava algumas histórias de bravura. Uma dessas histórias está diretamente ligada ao nascimento dele!

Krishna é filho do príncipe Vasudeva e da princesa Devaki, que viviam em Mathura (cidade que fica perto de Agra onde fica o Taj Mahal). A cidade era governada pelo rei Kamsa (irmão de Devaki), uma pessoa perversa que explorava o povo e cometia diversas injustiças.

Para acabar com a maldade que ocorria nos reinos e as injustiças contra cidadãos comuns, a Mãe Terra (Bhumi Devi) assumiu a forma de uma vaca e procurou o deus Brahma para pedir ajuda. Brahma pediu a ajuda de Vishnu, que desceu à Terra, junto de sua serpente Shesha Naga, em direção à cidade de Mathura. Quando todos estavam comemorando o casamento de Vasudeva e Devaki, a voz de Vishnu ecoou no céu dizendo que o oitavo filho de Vasudeva seria o responsável por destruir o rei Kamsa.

Kamsa, atordoado com o que a voz disse, aprisionou Devaki e Vasudeva, para que todos os filhos que nascessem fossem entregues a ele. E assim ocorreu! Todos os filhos de Vasudeva eram mortos, inclusive os filhos que nasciam do seu primeiro casamento. Porém, o senhor Vishnu apareceu diante de Devaki e Vasudeva explicando como salvariam o oitavo filho.

O plano seria levar a criança para a vila de Gokul e trocá-la com a filha de Yasoda, que nasceria no mesmo instante que Krishna. Porém, a criança que foi trocada era a encarnação da deusa Devi e caçoou de Kamsa ao rir e dizer a ele: “seu verdadeiro inimigo ainda está vivo. O filho de Devaki está vivo e em seu devido tempo voltará para te matar“. Muito enfurecido, Kamsa começou a matar todos os garotos recém-nascidos do reino.

Porém, Krishna estava longe dali. Ele cresceu levando uma vida alegre e aventureira em Gokul.

Caso queira conhecer mais sobre as divindades do hinduísmo, clica aqui para acessar um artigo nosso no blog da Casa da Índia.

Sobre Radha

Um nome de significado forte: prosperidade e sucesso! Radha perdeu a mãe aos seis anos e foi criada por sua avó materna, na cidade de Barsana, já que o pai dela havia se mudado para Vrindavana com suas duas esposas. Radha era amada por todos na pequena cidade!

Com a morte da avó, aos onze anos ela foi enviada para a casa do pai. Porém, no meio do caminho ela se hospedou na casa de alguns primos em Gokul, onde conheceu Krishna, que na época estava com sete anos. Quando eles se encontraram, ambos sentiram que jamais iriam se separar e que sempre se amariam.

O pai de Radha se comprometeu a casar a jovem com Aiyan, um homem mais velho que fazia parte do exército de Kamsa.

Na cidade de Gokul, lobos começaram a atacar o gado, portanto todos se mudaram para Vrindavana (cidade destino de Radha).

Radha e Krishna se encontraram mais uma vez e ambos sentiram algo forte. Eles cresceram cercado de alegrias, cantavam, dançavam. Radha fazia poemas para Krishna, que eram cantados nos encontros com os jovens.

À medida que os anos se passavam, se aproximava o momento em que Aiyan iria para Vrindavana se casar com Radha. Mas o coração da camponesa pertencia à Krishna!

Krishna, por ser filho mesmo que adotivo do chefe da vila de Gokul, procurou sua mãe (adotiva) e disse que queria se casar com Radha. Inicialmente os pais dele recusaram, já que a moça pertencia a uma casta inferior e era mais velha que o jovem Krishna. Mas ele conseguiu convencer seus pais, que concordaram com o relacionamento entre Radha e Krishna.

Aos 16 anos, Krishna retornou à Mathura para cumprir com seu dever de exterminar Kamsa, ao enfrentá-lo em um grande festival sagrado. Radha optou por não acompanhar seu grande amor, pois se sentiria mais confortável em Vrindavana.

Radha fez um pedido à Krishna, para ele deixar a flauta dele com ela e lhe disse: “Perdoa-me por algum sofrimento que esteja te causando. Não posso ir contigo para Mathura. O Krishna que vive em meus olhos usa flores silvestres nas orelhas e anda com um pedaço de bambu nas mãos. Ele tange o gado para o pasto. Toca a flauta de forma sublime. É alegre e corajoso e tem um eterno sorriso nos lábios. Não consigo imaginá-lo como um príncipe e, por isso, não posso acompanhá-lo até Mathura. Amei-te sempre e para ti vivi sempre. Deixa que eu continue em Vrindavana cuidando de teu pai e de tua mãe”.

O amor mais puro, que vai além do romântico

Radha e Krishna se amaram desde o primeiro instante em que se viram. Foram cônjuges de alma e inseparáveis quando se tornaram amantes. Eles eram um casal que tinham muito amor e paixão, mas também tinham seus momentos de ódio, como qualquer outro casal.

Após Krishna deixar Vrindavan, para trazer a justiça de volta à Mathura, Radha permaneceu na cidade e viu seu amado partir. Para que a justiça e os ideais de verdade fossem estabelecidos, o casal teve que deixar de lado o amor pessoal e colocar à frente de tudo outros sentimentos, como o de justiça e prosperidade.

O casal nunca mais se reencontrou e apesar de Krishna ter se casado várias vezes, o amor dos dois é considerado tão divino e puro, que Radha obteve o status de divindade, tendo seu nome ligado ao de Krishna.

Eles são conhecidos como um casal que viveu um amor divino, um amor que foi além do amor romântico. Trata-se de um amor de entregas e devoção aos propósitos do outro. É uma união de almas, onde um não existe sem o outro.

A maior parte das imagens que retratam Krishna são consideradas completas apenas quando Radha aparece na representação. Eles são considerados o modelo tradicional de um casal hindu, onde Radha é a alma, a energia, e Krishna é o deus, possessor da energia. Radha é a parte feminina da cabeça do deus, é a personificação do maior amor por deus.

Você que gosta de aprender sobre a cultura indiana, siga a Casa da Índia no Instagram para descobrir cada vez mais essas maravilhas! É só clicar aqui para ir até o nosso perfil.

Você também pode gostar

Um comentário em “Radha e Krishna: o amor mais puro que pode existir entre um casal

Deixe um comentário