Você conhece os costumes indianos? Veja 8 deles aqui

6 minutos para ler

A Índia é o sétimo maior país do globo. Essa vastidão não se restringe apenas ao território, refletindo-se também no tamanho de população e cultura. Sua existência milenar e a diversidade de etnias, crenças e idiomas fazem os costumes indianos ainda mais ricos, exercendo fascínio e curiosidade para muitos povos.

A introdução tecnológica alterou alguns hábitos de vida dos indianos. No entanto, outros aspectos permanecem inalterados e devem ser respeitados por todos que transitam na região. A observância da tradição é tão importante que aeroportos das principais cidades — como a capital, Nova Deli — distribuem guias com comportamentos e vestimentas mais adequados para os turistas da região.

Pronto para conhecer os hábitos dessa cultura? Alguns são de conhecimento geral. Outros, podem surpreender e transformar a visão que alguns têm sobre o país. Continue a leitura e confira 8 deles!

1. Oferecer o chai para visitantes

A ingestão do chá é comum para os indianos. A prática surgiu na China, em meados do ano 250 a.C., mas foi introduzida na cultura hindu somente por volta de 1280 d.C., em uma das diversas expedições realizadas pelo aventureiro Marco Polo.

O costume de adicionar leite e especiarias à infusão das ervas, ficou conhecida como chai. É essa a composição que os indianos oferecem para seus visitantes. Aceitá-lo sinaliza respeito e agradecimento à hospitalidade do anfitrião.

2. Comer somente com a mão direita

Comer com as mãos é prática comum em toda a Índia. Até em grandes cidades, com shoppings e hotéis para estrangeiros, o uso de talheres é opcional. Contudo, a prática é vista com bons olhos quando a alimentação é feita utilizando a mão direita.

O lado superior esquerdo está ligado à higiene íntima e limpeza, de forma geral. Na hora da refeição, essa mão é utilizada apenas para manusear pratos e vasilhas com comida. Devemos manter esse hábito ao visitar o país ou comer na casa de indianos.

3. Acionar a buzina para outra finalidade

Os turistas consideram o trânsito local um espetáculo digno de ser assistido. Nele, encontramos carros, riquixás, animais e pedestres transitando simultaneamente, sem faróis ou sinalização, mas, com uma harmonia admirável e sem grandes acidentes.

Por isso, é comum ouvir buzinas frequentes nas ruas. Se para o ocidente o sinal sonoro significa advertência e repreensão, nas capitais hindus servem apenas para indicar ao motorista que você está atrás ou ao lado dele, ajudando a se orientação no tráfego.

4. Cumprimentar com Namastê

Apesar de existirem dezenas de verbetes para cumprimentos na língua hindi, saudações como bom dia, boa tarde, por favor ou até logo são raramente utilizadas no cotidiano. As formas comuns para dizer todas essas expressões são o Namaskar ou Namastê, a última, bem conhecida entre os praticantes de yoga.

A expressão tem origem na religião e traduz parte da espiritualidade indiana. Dentre inúmeras traduções e significados, a mais conhecida é “o deus que habita em mim, reverencia o mesmo deus que habita em você”. Para os hindus, somos uma centelha da divindade e merecemos respeito e reverência, assim como animais e outras formas de vida.

Devemos dizer Namastê ao cumprimentar principalmente pessoas mais velhas, para demonstrar respeito às tradições. Entretanto, é importante verificar se a pessoa é hindu. Oferecer essa saudação para um muçulmano, por exemplo, pode ser ofensivo e gerar constrangimentos.

5. Incorporar o cinema aos costumes indianos

Os aromas, cores e vestimentas são vibrantes na Índia e representam sua presença ao longo da história. Com o passar dos anos e acesso à cultura ocidental, a sétima arte foi agregada na civilização indiana e se tornou uma paixão nacional.

Tanto que em Bombaim foi construída uma indústria e comércio totalmente voltados para o cinema. Bollywood possui tramas bem parecidas com o cinema ocidental, entretanto, percebemos como a cultura de obediência à decisão paterna e consagração de animais ainda é respeitada.

6. Usar o saree como sinal de matrimônio

O saree é a vestimenta tradicional das mulheres. Não se sabe ao certo quando ele surgiu, mas existem registros de sua presença na cultura indiana há, pelo menos, cinco mil anos. É uma longa faixa de pano que pode ser amarrada de diferentes formas e desenhos.

Em algumas regiões, o uso do saree é uma tradição destinada apenas para as casadas, como sinal de respeito. As cores também são significativas para as questões matrimoniais. O vermelho, por exemplo, é utilizado no dia do casamento, representando paixão e amor. Já as viúvas utilizam o saree branco, simbolizando a santidade após o fim do relacionamento.

7. Festejar o casamento por semanas

O casamento é composto por diversas etapas, com festejos mais prolongados (em semanas) que as cerimônias judaico-cristãs. São diversos rituais até a hora da chegada do noivo ao altar, alguns durante e outras tantos após a festa, como agradecimento dos cônjuges aos deuses, pela nova união.

As práticas passam também pela preparação da noiva, que é adornada com muitas joias e pinturas de henna e pelo banho do noivo, que deve ser aromatizado com sândalo e embalado por mantras . Assim como acontece no ocidente, os convidados jogam arroz no final da celebração, para desejar felicidade ao novo casal.

8. Utilizar especiarias de forma diferenciada

Reconhecida historicamente, essa foi a nação que levou cor, sabor e aroma para o resto do mundo. As especiarias — moeda de negociação e motivo de guerras por muitos séculos — são parte essencial da culinária indiana.

O mais utilizado para preparações do cotidiano é o Garam Masala, uma mistura feita com várias especiarias secas. As mais comuns são cominho, coentro, folha de curry, cravo, canela cardamomo, pimenta do reino. A riqueza de sabores fortalece a crença hindu de que a comida é um presente dos deuses para a humanidade.

Grande parte dos pratos do ocidente também utilizam esses ingredientes. O diferencial da culinária indiana está no uso dos condimentos em sobremesas — com cardamomo, açafrão, noz-moscada, gengibre e pétalas de rosa — e chás.

Seria impossível descrever todos os costumes indianos em um só artigo, a julgar pela quantidade de pessoas, dialetos e anos que transformaram o país naquilo que hoje vemos. De qualquer forma, estes exemplos servem para validar essa multiplicidade, mostrando que essa e como tantas outras culturas devem ser de fato compreendidas e respeitadas.

Para continuar por dentro das práticas e tendências do universo indiano, siga nossas atualizações nas principais redes sociais, como Facebook, Twitter, Instagram e LinkedIn.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-